domingo, dezembro 21, 2014

quinta-feira, novembro 27, 2014

domingo, outubro 19, 2014

quinta-feira, outubro 16, 2014

quarta-feira, outubro 01, 2014

quinta-feira, setembro 25, 2014

sexta-feira, setembro 05, 2014

# 5 (14-15)


iupiiii consegui
interiro e sem diminuir de tamanho :)

quando se lê a receita até ao final até que parecer fácil 
ehehhehe

quinta-feira, setembro 04, 2014

quarta-feira, setembro 03, 2014

# 3 (14-15)

foi um aniversário feliz, sim senhora

terça-feira, setembro 02, 2014

# 2 (14-15)


O dia ganhou mais cor hoje :)

segunda-feira, setembro 01, 2014

# 1 (14-15)

" hoje é o primeiro dia...."

sábado, agosto 30, 2014

fim de férias


as férias estão no fim  :(

quarta-feira, agosto 27, 2014

Espero-te





Texto premiado Menção honrosa na prova literária da Feira do livro da Nazaré 2014

:)




Espero-te.

Sentada, frente ao mar, com o aroma a vida salgada a que me habituaste.

A minha pele está tisnada deste sal, deste sol, deste viver.

Sinto-a viva.

Em cada sulco nela marcado, sinto-te.

O tempo passou e deixou-nos, a ti e a mim, as marcas de uma vida com sal.

Sem ramerrame, uma vida preenchida…

De mar, esta imensidão que tantas vezes me encheu os olhos.

Me encheu a alma.

Uniu-nos, o mar

Ainda me arrepio com a sensação do mar na minha pele.

Como se fosse a primeira vez eu arrepio.

Vem, disseste tu, vem ao banho…

A tua mão, a minha inocência e o mar.

Sempre o mar.

Aquela caricia sem toque…

Que nos une e tantas vezes nos separa.

Sentada frente ao mar, espero-te.

Não há ninguém na praia que me diga que voltas.

Mas eu sei.

Eu sinto.

Na minha pele,

Na brisa que o mar me traz ,

Eu sinto,

Que não espero em vão.

O céu carrega-se de um negro doloroso.

Mas eu espero.

Como se hoje fosse o dia que disseste: vem.

Eu espero

Antecipo o teu abraço, o teu sabor a mar.

Aquele olhar …

Aquele toque.
 
Espero – te .

segunda-feira, junho 23, 2014

domingo, junho 22, 2014

há infinitos...


há infinitos que são muito mais longe que outros ( ouvi num filme )
e é tão verdade
como sempre digo
o sempre pode ser só até amanhã
carpe diem

segunda-feira, maio 26, 2014

sexta-feira, maio 23, 2014

segunda-feira, maio 19, 2014

terça-feira, março 18, 2014

entreaberta

entreaberta a porta
deixa ver aquela divisão,
destruída...
deixada para trás.
assim,
como a ideia que tinha de ti....
entreaberta
para que possa mudar
entreaberta
para te deixar entrar



segunda-feira, fevereiro 24, 2014

Exposta

exposta a olhares alheios
enfrento-te todos os dias
alheio a tudo
olhas-me
não me vês
e eu...ali, exposta
enfrento o dia todos os dias
e desnuo-me.
para quê?
pergunto...
por certo valerá pena
mas eu sou como o vento que adriano cantava
e como ele calo-me.
exponho-me
e cada vez mais pergunto

para quê???

terça-feira, janeiro 21, 2014

sexta-feira, janeiro 17, 2014

domingo, janeiro 05, 2014